sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Quando o Proibido dita o viver

QUANDO O PROIBIDO DITA O VIVER

Dizem que o proibido,
É sempre mais atraente,
Engano quem nisso pensa
Ao se achar fogo ardente,
Pode ser que uma miragem,
Insensível torne a gente.

Torna-se mais decadente,
Pra quem vive essa ilusão,
Logo a lenha vira cinzas,
Cria-se logo um brasão,
Destacando pormenores,
Que do são tira a razão

E nas escolas evasão,
Onde o mundo é professor,
Deixa o aluno reprovado,
Atrás de um devorador,
Denegrindo a boa imagem,
Alimentando o malfeitor

Como um rolo compressor,
Fragmenta os envolvidos,
A audição na surdez,
Paladar dando aos ouvidos,
Tateando em ziguezague,
Enxergando intrometidos.

E com atos corrompidos,
Cultuam as indolências,
Mancham o lado materno,
Praticando indecências,
Negligenciando o Deus,
Que só quer Abstinências.

Conservem as residencias,
Com amor, ternura e paz,
Vive errante e derrotado,
Quem deixa o amor pra traz,
Com Jesus no matrimônio,
Bom pra moça e pro rapaz.

Poetizante BR

Respondendo a Marluce Cordelista em 28/12/2012

Marluce cordelista disse:
QUERIDOS AMIGOS DO FACE REAIS E VIRTUAIS

Há tempo que meu marido Eromir me pede para eu sair do Orkut e do Face mas, a semana passada ele me pediu com tanto carinho, junto das filhas, olhando dentro dos meus olhos, que eu resolvi obedecer. Ultimamente ele vem tendo vários problemas de saúde: hipertensão, fígado, depressão e outros e como eu o amo muito e não sabemos quanto tempo ainda vamos ficar aqui nesse planeta, estou me despedindo de vocês. Vou senti saudades!!! Mas, opinei pelo melhor para nós dois. Quem sabe onde moramos, o nosso apartamento está às ordens!!! Quem tem o meu celular, pode ligar quando quiser. O meu telefone convencional quem ainda não tem, eu envio por mensagem pois, se procurar no (102) não vai encontrar porque está em nome dele. Estarei colocando esse aviso todos os dias até dia 31 de dezembro.
A TODOS VOCÊS UM FELIZ ANO NOVO!!!

Improvisei na hora respondendo a Marluce Cordelista

Quando o pedido é antigo,
Como se fosse um clamor,
Não houve correspondência,
Não porque perdeu valor,
Mas porque a poesia,
Vai no peito e no andor.

O tempo trouxe o fervor
E o pedido veio a tona,
Foi no volume do amor,
Que Eromir na maratona,
Juntou as suas filhas,
Para conquistar sua dona.

Marluce pegou carona,
Do Orkut pouco choro,
Mas quanto ao facebook,
Esse belo logradouro,
Foi duro mas foi preciso,
Sair desse ancoradouro.

Via o face como ouro,
Mas ouros maiores tem,

Os problemas de saúde,
Ajudou nisso também,
Sei que o motivo maior,
É o amor que te faz bem.

Se a união isso mantém,
Nessa sábia decisão,
Vai trazer grande alivío,
Até pra hipertensão,
Os problemas do fígado,
E também da depressão.

Isso me deu impressão,
Que Deus está contente,
Às vezes perde o valor,
Quem chora ama e sente,
Para os que ficam aqui,
Acham isso coerente.

Que você é boa gente,
Isso já tenho notado,
Muita gente expressando,
O carinho e o cuidado,
Com a nossa Cordelista,
Que conosco tinha estado.

Pela amizade obrigado,
Aqui vai minha mensagem,
Com Cristo na companhia,
Pura e santa é a bagagem,
Não queiram jamais deixa-lo,
No porão ou na garagem.
Poetizante BR

Lute pelos seus objetivos


Coisa Lorde!

lucélia Santos fêz essa estrofe:
ELA É TRANSMISSORA DA CULTURA
MAJESTADE DO VERSO E DO POEMA
E POR TUDO QUE FAZ JÁ VIROU TEMA
DE CORDEL, ARTE DA LITERATURA
O POETA, SUA GRANDE FIGURA
COM A VIOLA FAZ GRANDE MAESTRIA
TRANSMITINDO DE NOITE E DE DIA
ESSA ARTE QUE A VIDA NOS ENSINA
"É A RÁDIO CULTURA NORDESTINA
O PULMÃO QUE DÁ VIDA A POESIA."

LUCÉLIA


Pedro Torres Filho Disse:
Olha esse versinho Silvano Lyra;
coisa lorde!

Na hora improviseis assim:

Essa estrofe é muito lorde,
Pedro nisso é requerente,
Não importa se é novata,
Mas merece uma patente,
Vamos chama-la de Lady,
Pra ficar acima da gente.

E talvez alguém comente,
Como se fosse invenção,
Tendo aqui o teu aval,
Derruba a contestação,
Dá a ela mais coragem,
Pra uma nova encenação.

Dela veio inspiração,
Sem ter tua assinatura,
Se com tinta escreveste,
Como assina uma escritura,
Faça logo a promoção,
Pra rainha da cultura.

Já ganhou mais abertura,
Entre o grande e o pequeno,
Nessa palavra já dita,
Desses versos sem empeno,
Pedro ai ponha o tapete,
Que de longe faço aceno.

E nesse ambiente feno,
Que relembra o natal,
Lucélia pense um pouco,
Em algo bem natural,
Eu entrei na brincadeira,
Considere isso normal.

Não pense que sou o tal,
Mas direi toda verdade,
Que Jesus te abençoe,
Com Paz e prosperidade,
E que nesse ano novo,
Preserve nossa amizade.

Poetizante BR

Aula sobre o Abacaxi

Aula sobre o Abacaxi

O abacaxi nosso trás
no suco ou em rodela,
Rico em Vitamina C,
betacaroteno nela,
Também do complexo B,
Dá até ir pra panela.

Minerais de sentinela
como cálcio e manganês,
Ferro potássio e fibras,
Dessa fruta sou freguês,
Uma poderosa enzima,
Bromelina pra vocês.

Vou dizer sem acanheis,
Que reduz inflamações,
Bom pra nossa digestão,
Sangue A boas açoes
É rico em fibras solúveis,
Bom pra cicatrizações.

Age em várias direções,
Quanto ao colesterol,
E para pedras nos rins,
Anemias pus no rol
Bom para hipertensão,
E perder peso bom farol.

Nada contra tudo prol,
Por isso tão importante,
Também Pra reter líquidos,
Em churrasco é animante,
Na culinária é um rei,
E em sucos figurante.

E me deixou saltitante,
Quanto a todos os pratos,
Tanto quentes como frios,
Tornam os efeitos natos,
Sei que quem ama saúde,
Poe abacaxi nos tatos.

Poetizante BR

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Foto que parece mais não é


Daí surgiu a poesia abaixo:

Tem momento nessa vida,
Que não dá pra resistir,
Neide Santos fez a cena,
Muitos nisso estão a rir,
Soube que é amor antigo,
Mais não dá pra assumir.

Fez Dionézio se sentir,
Como coadjuvante,
Não sei qual o seu papel,
Até se foi instigante,
Paulo é um beijoqueiro,
Mas seu beijo é elegante.

Não estava ofegante,
Dionézio assim pensou,
Nisso Fábio disse humm,
Que é moda alguém falou
Zé Luiz mais Azeli,
De febre isso chamou.

Esse circo alguém montou,
Como palco do destino,
Paulo ai nesse ambiente,
Fêz e perdeu o seu tino,
Mas tenho toda certeza,
Na poesia é um paladino.

Nessa hora aqui termino,
Com esse fato sem nexo,
Que deixou nossos poetas,
Com um olhar perplexo,
Vejam o que a bebida faz,
Com um fato desconexo.

Aproveitando o reflexo,
Quero me apresentar,
Eu sou o Poetizante,
Que bem longe vai chegar,
Tudo tem a hora certa,
Queiram nisso acreditar.

Nesse meu poetizar,
Faço aqui um pedido,
Nossa radio está no ar,
Tem cordéis nesse adido,
Basta mandar três estrofes,
Que pra Radio terá ido.

Eu sei que isso tem lido,
E o mote agora eu digo,
Leia apenas no final,
Que aqui sofro castigo,
Enquadrar nessa estrofe,
Eu ainda não consigo.

Me vejam como um amigo,
Nessa minha passarela,
Não tenho palco nem fã,
Por isso abri a janela,
O quadro que aqui pintei,
Que permaneça na tela.,

Paulo Mora:
foi brincadeira, sabe que sou seu admirador e amigo apesar de tão pouco contato.
http://educarcomcordel.blogspot.com.br/2011/10/poeta-paulo-moura-recita-plantador-de.html

domingo, 23 de dezembro de 2012

Temperos do amor

Respondendo a enquete de Marcia PoesiaéArte M Kanitz

Sobre o Tempero do amor:

Improviso:
Que há tempero do amor,
Eu confirmo aqui que tem,
E sem ter o amor próprio,
Antes de ser por alguém,
Desse jeito há garantias,
Que do amor não é refém.

Há tempero que mantém,
O amor com belo aroma,
A paixão belo tempero,
Dá o amor puro sintoma,
A fidelidade é a alma,
Que dá ao amor diploma.

Digo coisas nessa soma,
Um tempero é o respeito,
E o Tempero sensual,
Entre o casal é aceito,
Já o tempero ciúme,
Pra esse não tem jeito.

Um tempero sem defeito,
Digo que é o da fé,
Cristo aprova e abençoa,
Ao casal que está de pé,
Quem detesta esse tempero,
No amor dá um pontapé.

Poetizante BR

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Mote da radio Cultura Nordestina

Mote da radio Cultura Nordestina

Se eu fosse dizer a importância,
Dessa Radio hoje para a cultura,
Ultrapassava os limites da altura,
Mas não é só por minha militância,
É porque ela encurta uma distância,
Do poeta e quem faz apologia,
Eu vejo nela a mais pura sinergia,
E no repente a mais bela natalina,
É a Radio cultura Nordestina,
O pulmão que dá vida a poesia.

Poetizante BR

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Disse a Onildo Barbosa

Disse a Onildo Barbosa:

Meu poeta e professor,
Quando quer é erudito,
Julgando pelo que faz,
Garanto que é bendito,
Esse aluno está no lucro
Nesse fascínio inaudito.

Nunca se mostrou maldito,
Quando faz um comentário,
Deixa muito esclarecido,
Sem fazer um inventário,
Para quem quer aprender,
Ele mostra o abecedário.

Poetizante BR

Engancho e Garrancho

Engancho e Garrancho

Pra quem vive enganchado,
É em tudo que se engancha,
Pensa em desenganchar,
Logo a intensão desmancha,
Desenganando os garranchos
Não deixa rastros e nem mancha.

Poetizante BR

Capa e contra capa

Vejo muita intolerância,
Em se apaixonar por capa,
Importante é a essência,
Que está na contracapa,
Quando a capa se extravia,
Nada mais nisso escapa.

Poetizante BR
Alertando sobre as caras bonitas do Facebook

O verdadeiro poeta


O verdadeiro Poeta
Traz cultura para nós,
Nunca quer andar atrás,
Nem Pretende andar após,
Procura andar ao lado,
Sem deixar outros a sós.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Quanto a uma fotografia postada

Me disseram assim quanto uma fotografia minha:

"Gostei da fotografia,

tá parecendo um doutor...

Na medicina é um médico,

na política, um senador;

Eu respondi:

Caro Poeta,

Você é um professor,
Nessa arte de cantar,
Minha foto é bonita,
Isso eu posso te contar,
Para Médico eu ser,
Precisarei me encantar.

Eu Poderia intentar
Com grande dificuldade,
Senador ou Presidente,
Só por pura vaidade,
Eu te digo com certeza,
Manteria integridade.

Dilma nossa autoridade,
Que encantou o pais,
A Globo ela Inventou,
Como se fosse uma atriz,
No lugar da Presidente,
Eu Seria mais feliz.

O nosso Deus quis,
Que eu fosse diferente,
Eu amo a poesia,
Amo Também o repente,
A maior glória que tenho,
Em Cristo ser um crente.

Silvano Lyra
Poetizante BR


Biu Salvino e Silvano Lyra(O Poetizante BR)

Alusão ao Poeta Biu Salvino

Meu poeta Biu salvino,
Faltou pouco pra Silvano,
Se Salvino é sobrenome,
Isso nao me causa dano,
Itabaiana e Olinda,
Se unem durante o ano.

Eu nao entro pelo cano,
Mas sou agua cristalina,
E como agua mineral,
O que jorra é divina,
Tira a sede poética,
Na cidade e na campina.

Nação Nordestina - Fica o dito pelo não dito


José Camata disse quanto ao cartaz acima:
"Chame um nordestino, apenas de BRASILEIRO, é o que somos todos nós".

Respondi a José Camata(Meu amigo de Profissão e de Empresa)

José Camata meu amigo,
Sei que você tem razão,
Mas lembre de uma coisa,
Que o sulista dá vazão,
Tratavam-nos diferentes,
De nós tinham outra visão.

O Nordeste deu um puxão,
Hoje em nossa economia,
O que ia está voltando,
Grande é nossa melhoria,
Os veículos nos exaltam,
Como uma bela sinfonia.

Seria grande covardia,
O Nordeste ser nação,
Estaríamos dando o troco,
Feia seria essa ação,
Eu concordo com você,
Tens Bela concepção.

Promovendo a interação,
O Brasil é Nordestino,
O Nordeste é do Brasil,
Disso também me atino,
Fale ai contra o Gaúcho
E mostre que és paladino.

Poetizante BR

Homenagem a Heleno Alexandre

Heleno Alexandre disse em 16 Dezembro 2012:

SAINDO AGORA PARA PARTICIPAR DA VII FESTA "PERSONALIDADES DESTAQUES DO ANO" NA CIDADE DE MARI, ONDE SEREI HOMENAGEADO PELO JORNAL O FAROL COMO DEFENSOR DA CULTURA SAPEENSE. ISSO ELEVA NOSSA RESPONSABILIDADE E NOS FAZ SEGUIR CADA VEZ MAIS FIRME NESSA LUTA. AGRADEÇO A DEUS E TODOS OS QUE CONTRIBUÍRAM PARA QUE EU ALCANÇASSE MAIS ESSE OBJETIVO NA VIDA.

Poetizante BR Responde:

Da Cultura um defensor,
Como um facho de farol,
No brejo da Paraíba,
Tem Sapé seu maior sol,
Justa e bela homenagem,
De versos tens um paiol.

Viram-te como um crisol,
Pega tudo e purifica,
Não importa o metal,
A pureza é a que fica,
Nas poesias que faz,
Rima ora e metrifica.

Esse Heleno especifica,
Os assuntos em destaque,
Dá harmonia e dá força,
Sem precisar de ataque,
Na toada e no assunto,
Sempre preserva o sotaque.

Nem preciso de almanaque,
Para as coisas atuais,
Nem consultarei o Google,
Que Heleno sabe mais,
Dez minutos o escutando,
Mudarei meus ideais.

Inclua-me entre os leais,
Como um simples aprendiz,
Lubrifiquei meu juízo,
Foi o nosso Deus que quis,
Hoje comi desse bolo,
Pra amanhã ser chafariz.

Poetizante BR

sábado, 15 de dezembro de 2012

Coisas do nosso quarto

Coisas do nosso quarto
Só Para casais

Para um casal ser feliz,
Eu senti necessidade,
De dizer algumas coisas,
Que mantem felicidade,
Algo que eu percebi,
E fazemos sem maldade.

Sem haver espontaneidade,
Também não há transparência,
O casal nisso se isola,
Incentiva a abstinência,
Cada um para o seu lado,
Fortalecendo a indecência.

Nessa hora dou ciência,
De algo interessante,
Pela manhã e a tarde,
A conversa está distante,
Só a noite em nosso quarto,
Resta-nos ser meliante.

Tudo fica angustiante,
Foi embora toda festa,
Assassinamos o amor,
Nem sei mais o que nos resta,
No final é só retalhos,
E a comida Indigesta.

Muda o semblante da testa,
Como se fosse um enfermo,
Sente dor por todo lado,
Na conversa meio termo,
Nem se lembram do altar,
São solitários a ermo.

Aqui vai um novo termo,
Para banir toda a dor,
Faça do quarto um altar,
Pra só exaltar o amor,
Os assuntos ficam fora,
Desse seu jardim de flor.

Quem quer isso é o Senhor,
Pois a família é sagrada,
Se discutirmos a noite,
Nisso ai ninguém se agrada,
Mulher, marido e filhos,
Não ponha na encruzilhada.

Bem estreita é a estrada,
Mas devemos investir,
Jogar fora o sobre peso,
No amor nos revestir,
Antes que uma tragédia,
Leve o outro a desistir.

É importante eu insistir,
Deus me deu essa visão,
Não vare a madrugada,
Pra não haver colisão,
No Face tenha cuidado,
Isso algema, e dá prisão.

Pra garantir a provisão,
No Amor seja um artista,
No quarto pinte o painel
Passe sempre em revista,
Que sobre intimidade,
Sem por outro nessa lista.

Que você nisso invista,
Não sofra nenhum sufoco,
Antes que o sono chegue,
No amor não seja um oco.
Quem deixa o outro na mão,
Pode até levar o troco.

Tem se mostrado um broco
Quem diz que tudo é errado,
Com os de fora fala tudo,
Na mente só faz pecado,
Vive pensando naquilo,
Mas detesta ser tocado.

Se você já é casado,
Faça disso investimento,
Quem da cama fica ausente,
Destrói o seu casamento,
É choro pra todo lado,
E no sexo só lamento.

Depois fica ciumento,
Quando ver no celular,
Uma mensagem oculta,
Para tirar o seu do lar,
Em vez de separação,
Perdoe e vá copular.

Não se deixe adular,
Toque logo essa corneta,
Não queira fechar a porta,
Se o alvo é a maçaneta,
Quem mistura falha e sexo,
No amor fica perneta.

Ponha em sua caderneta,
Com uma tinta permanente,
Na porta diga tem festa,
Que teu leito seja quente,
Agua morna ela só serve,
Quando estiver doente.

Não falo como quem mente,
Tenha mais entusiasmo,
Lindo e santo sei que é,
Pra o casal o orgasmo,
Infelizmente tem muitos,
Que vivem nesse marasmo.

Poetizante BR

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Cem anos De Luiz Gonzaga: estrofe em 12 Dezembro 2012

13 Dezembro 2012
Cem anos do Rei Luiz

Hoje é um dia diferente,
Tem festa pra todo lado,
Bem presente o passado,
Passando nesse presente,
No clamor de nossa mente,
Dava até pra estender,
Ninguém quer isso romper,
Jorra, jorra, chafariz,
Os feitos do Rei Luiz,
Nunca haverão e morrer.
Poetizante BR

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Da casa que eu nasci, nasceu versos jorrados da alma

o assunto era a casa que nasci

ai eu disse.

na casa que nasci tinha
porta de vara e pilão
uma forma atrás da porta
com água de cacimbão
e o vento entrando nas brechas
da janela do oitão

poeta biu salvino.

Deus me inspirou e respondi de improviso:


Silvano Lyra Mauricea
Tinha em casa um portão,
Que a minha mãe fechava,
Não deixava a gente livre,
De dentro sempre brechava,
Quem pulasse aquele muro,
Cedo ou tarde apanhava.

Silvano Lyra Mauricea
Às vezes me acanhava,
E enterrava na cabeça
Levava trocha de roupa,
Sem que o rosto apareça,
E não dá pra esconder,
Não quero que isso pereça

Silvano Lyra Mauricea
Que a mente não esqueça,
Sem conforto eu morava
Minha cama de capim,
E apesar disso eu gostava,
Cinco latas de carvão,
Na janela mãe botava.

Silvano Lyra Mauricea
Com tudo isso eu estava,
Muito bem nesse ambiente,
Minha casa muito pobre,
Mas alegrava a gente,
Eu só falei a verdade,
Não sou daquele que mente

Silvano Lyra Mauricea
O que era bem diferente,
Eu posso dizer agora,
Minha mãe servia a Cristo,
E o meu pai estava fora,
Mas ficou lindo legado,
Que eu replico na hora.

Silvano Lyra Mauricea
Se um dia eu for embora,
Com minha cabeça erguida,
Jesus Cristo me acompanha,
Deu-me alma aguerrida,
Não vejo nada melhor,
Pra trocá-lo nessa vida.

Silvano Lyra Mauricea
E sofrida foi minha lida,
Mas hoje vejo mudança,
Tenho casa pra morar,
Sinto-me como criança,
Tenho até alguma sobra,
Fruto da minha pujança.

Silvano Lyra Mauricea
No meu tempo de criança,
Eu Agucei a memória,
E procurei ferro velho,
Vidro quebrado e escória,
Não posso sentir vergonha,
Dessa minha linda História.

Silvano Lyra Mauricea
Eu não quero esbanjar glória,
Por isso vou relatando,
Eu comi ovos quebrados,
Pouco o pai tava ganhando,
Enchi os olhos de lágrimas,
Mas continuo lembrando.

Posso até está ajudando,
Quem não sabe agradecer,
Descrevi meu sofrimento,
Pra hoje eu puder dizer,
Que meu passado foi pobre,
Mas não dá pra me esconder.

A ninguém quis ofender,
Com esse breve relato,
Enalteço aqui meus pais,
Meus irmãos e nesse fato,
Deus me deu sem merecer,
Por isso eu não sou ingrato.

Eu convivi com o barato,
Por isso sei quanto custa,
Tem gente que joga fora,
Levando uma vida injusta,
O pai desse se esmerou,
Nem assim ele se assusta.

Biu eu não sei quanto custa,
O que meu deu de presente,
Eu nem sei como medir,
Não tenho régua na mente,
Os meus versos malabares,
Como ator nesse ambiente.

Poetizante BR

sábado, 8 de dezembro de 2012

Olinda de Alma e coração

OLINDA DE ALMA E CORAÇÃO

Eu garanto que Olinda,
Tem história e riqueza,
É Capital da cultura,
Em natura mais beleza,
Do mundo é patrimônio,
E da História realeza.

Eu digo com franqueza,
Meu registro é Recifense,
Meu coração dá a dica,
De alma sou Olindense,
AS duas são importantes,
Não quero fazer suspense.

Numa coisa agora pense,
Bem famoso o carnaval,
Pra uns faz muito bem,
Não quero bem e nem mal,
Em vez de está com momo,
Eu busco o espiritual.

Eu acho muito legal,
Nossa orla é muito linda,
Rico o sitio histórico,
Pulmão é de nossa Olinda,
Duarte Coelho pereira,
O seu grito, ecoa ainda.

Sua beleza é infinda,
Tem mercado da ribeira,
As ladeiras de Olinda,
Boas para a brincadeira,
O farol é monumento,
Que tremula em bandeira.

Gente sentada em cadeira,
Apreciando os turistas,
O centro de convenções,
Feira até pra culturistas,
Madeiras ganhando formas,
Nos entalhes dos artistas.

Falam os comentaristas,
Linda a catedral da sé,
Foi ali daquele alto,
Em grito dado de pé,
Ano mil quinhentos,
Trinta sete ditou fé.

Eu sei que não é ralé
Dá telas com encantos,
As Pinturas pelo mundo,
Gente de todos os cantos,
Confirmando o grito dado,
Comum é descer aos prantos.

E sem causar espantos,
Algo muito inesperado,
Nos fundos do meu quartel,
No mar fui desenganado,
Eu estava me afogando,
Por outros eu fui tirado.

A Deus muito obrigado,
Milagres, aquela praia,
O Bairro é os milagres,
Que outro ali não caia,
E apesar do afogamento,
Pra Olinda não dou vaia.

Eu já fiquei de tocaia,
Numa falha pescaria,
Sem peixes nesse intento,
Eu Subi na escadaria,
E propus em minha mente,
Que eu na orla moraria.

Na mente há calmaria,
Não moro em bairro nobre,
Sou morador de Peixinhos,
Onde comecei bem pobre,
Podia está em palacete,
Mas a fé tudo isso cobre.

Eu digo que se desdobre,
Naquilo que foi proposto,
Morando ainda na periferia,
Não alimente o desgosto,
Faça uma orla em sua mente,
Ame a vida e ponha gosto.

Pra brilhar alma e rosto,
Ladeira dos quatro cantos,
O Jacaré cá tem Praça,
Os Conventos somam tantos,
E para quem tem devoção
Não faltará neles santos.

Igrejas com muitos mantos,
Com ouro na arquitetura,
E remontando o passado,
Prova de grande postura,
E com o apoio do IPHAN,
Que funde fé com cultura.

E dentro dessa moldura,
Tem homem da meia noite,
Já o Carlitos de Olinda,
Antes dava muito açoite,
O clube Vassourinha tem,
Uns Cem anos de pernoite.

Continuo nesse afoite,
Tem o clube Elefante,
No ano cinquenta e dois,
Lá criaram esse gigante,
Vassourinhas nessa idade,
Pra quem disso é amante.

Certamente mais brilhante,
Os dados de nossa história,
Data Ano Mil quinhentos,
E trinta e cinco na memória,
O português Duarte Coelho,
Gritou ali com muita glória.

E nessa linda oratória,
Das Igrejas uma relação,
Tem Igreja do Amparo,
E Igreja da Conceição,
Igreja da misericórdia,
Listo a Sé e faço menção.

Sem fazer conspiração,
Dos Milagres a Igreja,
Falo de São João Batista,
Os militares na peleja,
A São José do Ribamar,
E de São Pedro reveja.

Sei que há quem corteja,
De São Sebastião eu vi,
De Bom Jesus do Bonfim,
A do Carmo dela eu li,
Nossa Senhora do Monte,
A de são bento é ali.

Da Graça também é aqui,
Guadalupe em pé está,
Convento de são Francisco,
De Santa Tereza é cá,
De Salvador do Mundo,
Tudo isso encontra já.

E saio um pouco de lá,
Deixo o meu registro agora,
Igreja Presbiteriana tem,
Umas dez eu cito agora,
Batistas aqui também muitas,
E Assembleia não está fora.

Aqui falo sem decora,
Para quem toma cachaça,
Vá tomando amis cuidado,
Muitos morrem na desgraça,
Olinda é muito encantadora,
Sem nenhum choro na praça,

Vou mostrar a minha raça,
Quantos Bairros rapidinho,
Perimetral, Casa Caiada,
Búltrins, Jatobá e Salgadinho,
Rio Doce e Umuarama,
Amparo , Carmo, Passarinho.


Cito outros com carinho,
Nunca velho, Bairro Novo
Sitio Novo e Aguazinha,
Jardim Brasil do meu povo,
Ouro Preto, Amaro Branco,
Carmo, Monte tem aprovo.

Nos bairros me locomovo,
Jardim Fragoso, Fosforita,
Sapucaia, Aguas Compridas,
Santa Casa e Santa Rita,
Jardim Atlântico e Maruim,
No Sitio Histórico há visita.

Uma Cidade inaudita,
Tem o Alto da Bondade,
Caixa D’a Agua e RO,
Tabajara diz Cidade
Dois Unidos, Sapucaia,
Santa Tereza herdade.

Eu falo sem temeridade
Também alto da Conquista
No Alto do Sol Nascente,
Tem pobreza nessa lista,
A Vila Popular é perto,
Peixinhos é bem populista.

Poetizante BR

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Marca: Radio Cultura Nordestina

http://formulario.inpi.gov.br/MarcaPatente/servlet/MarcasServletController?action=detail&codProcesso=2666402

Sobre a Radio cultura Nordestina

Estamos divulgando,
Só cultura e repente,
Poesia sussurrando,
Nos ouvidos da gente,
Cultura Nordestina
Uma Radio diferente.

Vou dizer felizmente,
A Radio ganhou cartaz,
Sintonia pra quem gosta,
Repentes muito mais,
Ouça goste e divulgue,
Garanto ser bom demais.

Tocamos quem é capaz,
Dos famosos é recanto,
Essa radio já ecoa,
Garanto em todo canto,
Versos Vestindo a alma,
Com beleza e encanto.

Sobre a Radio Cultura Nordestina
http://radioculturanordestina.com/

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Cordel de Natal - Esperantivo e Poetizante BR


Capa Cordel "A decadência humana" - Biu Salvino e Poetizante BR


Dizem de Silvano Lyra

Eu quero dizer que não sou,
Nunca pensei em ser um vate
Dizer que sou grande é disparate,
Ninguém me ouve onde eu estou,
Quis me apresentar e o som parou,
Sou chamado poeta da solidão,
Espero palmas e só vaia me dão,
Por isso vivo como quem delira,
Se você apertar Silvano Lyra,
Leva peia sem choro e sem perdão.

Facetas da vida


Quem vive sem noção,
Sem noção leva a vida,
Se na vida há comoção,
Torna insensível a lida,
Uma mudança na ação,
Tranquiliza na guarida.
Poetizante BR

domingo, 2 de dezembro de 2012

Mote de Zé Viana - Mas se Deus quiser eu chego...

Garanto que existe jeito,
Para quem vive sem rumo,
Nos dirige e é nosso prumo,
Faz conserto sem defeito,
Nosso Deus é bem perfeito,
Dele eu nunca vou largar,
Nisso eu vou postergar,
Todo o presente de grego,
Mas se Deus quiser eu chego,
Onde desejo chegar.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Beija Flor e Vem Vem

http://russasonline.blogspot.com.br/2009/07/beija-flor-e-vem-vem.html

DOMINGO, 19 DE JULHO DE 2009
Beija-Flor e Vem-Vem

A dupla de emboladores, Beija-Flor e Vem-Vem, é natural da cidade de Russas, estado do Ceará e tem 20 anos de dedicação à poesia e ao Repente. Já se apresentou no Festival Nacional de Cantadores e Poetas Cordelistas em 1992, na casa do Cantador em Ceilândia-Brasília – DF, onde voltou a se apresentar no 3º festival Regional de Repentistas de Brasília em abril de 1997. Foi destacada como a melhor dupla de emboladores cearenses na TV Educativa do Ceará no programa “Ceará Caboclo”, em janeiro de 1993. a dupla participou das bodas de ouro da Associação dos cantadores do Nordeste em janeiro de 2001, em Carlito Pamplona-Forataleza-CE, como também do 2º Desafio Nordestino de Cantadores em Pernambuco das cidades de Araripina e Salgueiro em maio de 2002. foi uma das atrações do 1º Festival Internacional de Trovadores e Repentistas no Sertão Central Quixadá-Quixeramobim, em outubro de 2004. Estes emboladores representaram o Ceará em junho de 2006, no evento “salão de turismo roteiros do Brasil”, que envolveu todos os estados da federação na vila Guilherme em São Paulo. Além de diversas apresentações como no SESC Pinheiros, SESC Itaquera, Palanque Nordeste, Palanque Central e Hotel Othon Cacique. Em 2008 foi a vez de Santa Cruz- PB ouvir a arte dos russanos, a ação foi o Centro cultural Banco do Nordeste.

O Dom de Cantar

Só Deus tem, só Deus dá e deu a nós
Esse dom precioso de cantar
E mostrar da cultura popular
A toada o talento e sua voz
É que nosso repente é mais veloz
Do que certos balanços rotineiros
Embalamos nos ritmos dos pandeiros
A riqueza dos versos que criamos
E com o dom de cantar nós encantamos
Multidões de ouvintes brasileiros.

Fale pessoalmente com o Artista:
Poeta Beija-flor
São João de Deus, Russas, CE, Brasil.
88-3409 2000/99649590

domingo, 25 de novembro de 2012

Glosando o Mote de Elder Freitas

Glosando o Mote de Elder Freitas.

Quem vive mergulhado em ilusão,
Por vezes se alimentam do engano,
A bondade sempre embaixo do pano
Da alma nunca surge provisão,
Isso mostra a grande desilusão,
Pra falsidade ser irmã da hipocrisia,
E prima próxima da anestesia,
Agora eu digo a esses traiçoeiros,
“Sentimentos sutís e verdadeiros
Se revelam nos braços da poesia.”

Poetizante BR

sábado, 24 de novembro de 2012

Cuidado com fingimentos

Sei que nosso coração,
Comanda os sentimentos,
Enquanto que o intelecto,
É Lugar de entendimentos,
Dizem que as emoções,
Tem Guardado fingimentos.

Poetizante BR

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Capa cordel - Sem querer peguei carona no carro da ingratidão


O verbo Trazer com Heleno Alexandre e Silvano Lyra

O VERBO TRAZER: Heleno Alexandre & Silvano Lyra:

Heleno
A farmácia traz remédio
O posto traz gasolina
A floresta traz frescor
A fruta traz vitamina
E eu trago o melhor de mim
Na cultura nordestina

Silvano
Limpeza traz lavatina,
O remédio traz a bula,
O curral traz o gado,
O burro traz a mula,
E eu trago ali na mesa,
Um pouquinho dessa gula

Heleno
O casal traz o caçula
Quando não quer mais filho
A noite traz o escuro
Amanhecer traz o brilho
E eu trago suavidade
Nos poemas que dedilho

Silvano
A espiga traz o milho,
O milho traz o pilão,
Os grãos trazem xerém,
O xerém traz comilão,
Já eu trago o barrote,
Pra pegar esse vilão.

Heleno
A carroça traz ração
O leite traz a coalhada
O temporal traz enchente
O camponês a enxada
E trago a mente poética
Por Jesus iluminada

Silvano
O cabo traz a enxada,
A enxada traz o mato,
O mato traz a terra,
O gato traz o rato,
Se deixar trago a isca,
Pra colocá-la no prato

Heleno
A Câmera traz o retrato
A caneta traz a tinta
A perna traz caneleira
A barriga traz a sinta
E cantando eu trago a certeza
Que ninguém ache que eu minta

Silvano
A bola traz a finta,
O campo traz a bola,
A bola traz jogador,
O jogador traz cartola,
Nisso eu trago o juízo,
E no verso eu meto mola

Heleno
Poeta traz a viola
viola traz melodia
O medo traz desistência
Coragem traz valentia
Eu trago Silvano Lyra
Pra o mundo da cantoria

Silvano
Canto traz alegoria
Alegoria traz assunto
Assunto traz poema
Poema traz transunto
Já eu trago Cordel
Pra ensinar o bestunto

Heleno
A morte traz o defunto
A vida traz esperança
A dívida traz o acerto
A rixa das a vingança
e fazendo repente eu trago
um espírito de liderança

Silvano
Cristo traz mudança
A Mudança traz vigor
O vigor traz A fé
A fé traz o fulgor
Com luta trago virtude
Pra tirar todo amargor

Heleno
Traz o neném ao se expor
A definição do sexo
Área traz acento agudo
Comitê traz circunflexo
E eu trago arquivo de rima
Sem precisar de anexo

Silvano
O Espelho traz reflexo
O reflexo traz miragem
Miragem traz caveira
Caveira traz visagem
Só eu trago o medo
Pra conter a coragem

Heleno
A TV traz a imagem
O desgosto traz o pranto
O sol quente traz o bronze
O riso traz o encanto
E no verso eu trago a certeza
Naquilo que eu me garanto

Silvano
O perdão traz o quebranto
O quebranto traz carinho
O carinho traz gravidez
Gravidez traz bebezinho
E eu trago a oração
Pra abençoar esse ninho

No batente de pau no casarão

Na internet não me conectei,
Fiquei triste por não poder usa-la
Sentei-me no sofá da minha sala,
Pensativo nessa hora me encontrei
Já do mundo virtual me deletei,
Fui a chácara com muita emoção
E de joelhos eu fiz uma oração,
Sentei com a minha amada crente,
Pra poder renovar a minha mente,
No batente de pau no casarão.

Poetizante BR

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Poetizante BR(Silvano Lyra) Lampião do Cordel e Esperantivo - Fliporto 2012


Paisagem Poética de Olinda - Fliporto 2012


Lambe Lambe uma história viva da fotografia - Fliporto 2012


3ª Feira do Livro - Fliporto 2012



Poetizante BR(Silvano Lyra) - Fliporto 2012


Poeta Eperantivo e o Poetizante BR(Silvano Lyra) Fliporto 2012


Poetas: Altair Leal, Esperantivo, Poetizante BR(Silvano Lyra) Fliporto 2012


Poetas: Davi Texeira e o Poetizante BR(Silvano Lyra) Fliporto 2012


Poetas: Adelmo, Davi Texeira, Esperantivo e o Poetizante BR (Silvano Lyra) Fliporto 2012


Poetas Davi Texeira e Esperantivo - Fliporto 2012


Poetizante BR(Silvano Lyra) Fliporto 2012


Poetas Lampião do Cordel e Esperantivo na Fliporto 2012


Poetas: Davi Texeira, Meca Moreno, o Poetizante BR(Silvano Lyra) e Altair Leal - Flporto 2012


Poetas Altair Leal e o Poetizante BR(Silvano Lyra) - Fliporto 2012


Poetas: O Poetizante BR, Lampião do Cordel e Esperantivo - Fliporto 2012


Meca Moreno e o Poetizante BR (Silvano Lyra)


Poetas Adelmo e o Poetizante(Silvano Lyra) - Fliporto 2012


O Poetizante BR(Silvano Lyra) na Fliporto 2012


Lampião do Cordel - Poesia andante


quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Mote: “São prantos da natureza Banhando a face da mata”.

O que eu vi no passado,
Abundava leite e mel,
Era lindo esse painel,
Que Deus havia pintado,
Com pincel consagrado,
Também pintou a cascata,
Quando a nuvem se desata
Desce chuva com certeza
“São prantos da natureza
Banhando a face da mata”.

Na mente fiz uma lista,
Peixe Boi em extinção,
Sem Tatu na nação,
Jaguatirica não é vista,
Onça pintada não quista,
Arara Azul sem cantata
Sem Chimpanzé primata,
Digo com muita franqueza,
São prantos da natureza
Banhando a face da mata.

É comum no ambiente,
Matar ou ver morrendo,
Aos poucos estou vendo,
Uma paisagem diferente,
De frio muda pra quente,
Perde encanto a sonata,
Sem conserto nessa errata,
O que Vejo nessa torpeza,
São prantos da natureza
Banhando a face da mata.

Poetizante BR

Mote: No caminho da esperança, Atalhos ficam de fora.

Uns amigos me chamaram,
Pra uma festa bacana.
Grande era a caravana,
Micro ônibus alugaram,
Os motivos não contaram,
Seguiram estrada a fora,
Até hoje gente chora,
Sem Cristo nessa festança,
No caminho da esperança,
Atalhos ficam de fora.

Poetizante BR

Cultura Arte Idéia - Paulo Alves - Amar sem reservas

Cultura Arte Idéia
Paulo Alves.
disse em 15 11 2012

Não se deve Amar com reservas; Dizer que se Ama a uma e entreter-se com outra, mesmo que não compromissado é uma brutal falta de caráter;

Ratifiquei respondendo assim:

Não é uma ideia nova,
O que está se discutindo,
Falsa arte em evidencia,
Sem caráter se assumindo,
Aumentando essas prisões,
Vai o amor diminuindo.

As famílias vão ruindo,
Nessa falsa aparência,
As paredes se rachando,
O amor sem consistência,
E os casais se misturando,
Aprovando a indecência.

Muito alta a audiência,
Desse entretenimento,
Uma hora com a esposa,
Em festa seu casamento,
Outra hora com a outra,
Num brutal divertimento.

Poetizante BR

sábado, 3 de novembro de 2012

Lembrança

Lembrança
A lembrança é apreciada,
Quando se dá um presente,
Não tão boa ao se pedir,
Quando se está ausente,
Isso é parte do contexto,
Necessário a toda a gente.
Poetrizante BR

Faça só com amor!

Faça só com amor!

Se faz tudo com amor,
Saiba que o amor é tudo,
Quando tudo é sem amor,
Nisso falta quase tudo.

Poetizante BR

Chá!

Chá!

Falam em chá de sumiço,
Muito usado é o chapéu,
Quem faz chá de novilha,
Faz pra deixa-las ao léu,
Não queira fazer chá mate,
Pra não transformar-se em réu.
Poetizante BR

Ansiedade

Deixe toda ansiedade,
Na presença do Senhor,
Aquele que se antecipa,
Só pra conquistar valor,
Grande é a decepção,
Vai sofrer nesse andor.
Poetizante BR

Fabrica de Motes

FABRICA DE MOTES
POETIZANTE BR

O sucesso desses motes é devido a contribuição de vários poetas que me ajudaram na métrica.E acreditam no Poetizante.

Mote do Poetizante BR
“No caminho da esperança atalhos ficam de fora”

Mote do Poetizante BR
"No terrível deserto da minha alma  um jardim por meu Cristo foi plantado."

Mote do Poetizante BR
“Com cristo em minha frente Não preciso olhar pra trás”

Mote do Poetizante BR
"Foi na cruz do calvário que Jesus assumiu uma conta sem dever"

Mote do Poetizante BR
Um Poeta diz: "Eu já fui prisioneiro da gaiola do pecado"
O outro Poeta diz: "Da gaiola do pecado não sou mais prisioneiro"

Mote do Poetizante BR
São prantos da natureza banhando a face da mata

Mote do Poetizante BR
"A bagagem do meu conhecimento é um saco furado e e nada mais"

Mote do Poetizante BR
"Tomei o chá da saudade na xícara do coração"

Mote do Poetizante BR
"Pus a mão na antiga maçaneta pra entrar no castelo da saudade"

Mote do Poetizante BR
"Tudo quanto eu pintei em minha vida foi o tempo cruel que apagou"

É a Radio Cultura Nordestina,
O pulmão que dá vida a poesia.

Mote do Poetizante BR
"No Brasão da minha fé eu vejo Jesus somente"

Mote do Poetizante BR
"Eu levei uns nove fora
o décimo, quem deu fui eu"

Mote do Poetizante BR
"Eu sofri por querer fazer de mais e no final terminei sem fazer nada"

Mote do Poetizante BR
"Minha fé eu Jesus é garantida quando muitos não vivem através dela"

Mote do Poetizante BR
Tendo Cristo Jesus no meu presente
Nem me lembro o que fiz no meu passado.

Mote do Poetizante BR
"Estou pagando no presente as dívidas do meu passado"

Mote do Poetizante BR
Mote para ser glosado:
No teatro cruel da falsidade eu já fui um ator considerado

Mote do Poetizante BR
Pensei em fazer aquilo
Mas me arrependi na hora.

Mote do Poetizante BR
Mote para ser glosado urgente:
"Aos poucos estão desafinando, a orquestra maior da natureza"

Mote do Poetizante BR
Eu finji, mas não caí
No alçapão do passado.

Mote do Poetizante BR
Fugi mas findei caindo
No alçapão do passado.

Mote do Poetizante BR
"Sem querer peguei carona no carro da ingratidão"

Mote do Poetizante BR
Os feitos do rei Luiz Nunca haverão de morrer

Mote do Poetizante BR
"Na cama da saudade dormi sem o meu amor"

Depois segue mais:
http://poetizante.blogspot.com.br/

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

RESPINGOS POÉTICOS - JÚNIOR ADELINO E POETIZANTE BR

Cordel Improvisado
IMPROVISO ENTRE JÚNIOR ADELINO E POETIZANTE BR

"RESPINGOS DE VERSOS POÉTICOS"
EM 24/10/2012

1)Júnior Adelino
ENCONTRO AQUI NESTA PÁGINA
O GRANDE SILVANO LIRA
SEI QUE VC É POETA
PODE CRER NÃO É MENTIRA
QUANDO LEIO UM VERSO TEU
MEU CORAÇÃO SE INSPIRA

2)Poetizante BR
Sou alguém te admira,
E teu nome não se risca,
Tua folha é laureada,
Não precisa usar isca,
Para mim é uma honra,
Saber que tu não petisca.

3)Júnior Adelino
SILVANO NÃO FAISCA
GRANDE HOMEM NORDESTINO
QUE APRENDEU A CANTAR
COM A FORÇA DO DIVINO
E TÁ LOUCO PRA SURRAR
O POBRE JÚNIOR ADELINO.

4)Poetizante BR
Sou poeta Pequenino,
E não sou um espantalho,
Se forçar nesse embate,
Sigo sem fazer atalho,
Mesmo sem me preparar,
Nesses versos me espalho.

5)Júnior Adelino
SOU POETA SEM ENTALHO
MEU VERSO É DE PÉ QUEBRADO
MÁS VOU CANTAR COM VC
MÁS NÃO ESTOU PREPARADO
MESMO ASSIM EU VOU TEIMAR
NUM DEBATE IMPROVISADO.

6)Poetizante BR
Já havia te avisado,
Que Silvano aprendeu,
Apesar de pouco tempo,
Pra Adelino se rendeu,
No final dessa peleja,
Nós vamos ver quem venceu.

7)Júnior Júnior
TEU VERSO PERTO DO MEU
FICA UM PEDAÇO SOBRANDO
MÁS HOJE ESTOU INSPIRADO
E DESDE JÁ VOU LHE AVISANDO
QUE EU DERRUBO VATE GRANDE
NO VERSO DE VEZ EM QUANDO.

8)Poetizante BR
E hoje no seu comando,
Aqui bato continência,
Já fiz parte da caserna,
Agora te dou ciência,
Você é um general,
Por isso peço clemência.

9)Júnior Adelino
SOU EU QUE PEÇO CLEMÊNCIA
A VOCÊ MEU NOBRE AMIGO
SEU DISCURSO ME CONFORTA
E MINHA ALMA ENCONTRA ABRIGO
HOJE EM LHE DESAFIAR
ESTOU CORRENDO PERIGO.

10_Poetizante BR
Eu te prometo abrigo,
E Preservo a munição,
Pra sua alma refrigério,
Nessa humilde lição,
Guardo a minha bazuca,
Pra uma outra punição.

11)Júnior Adelino
NO CANO DO TEU CANHÃO
SÓ SAI RAJADA DE AMOR
PORQUE VOCÊ SE BASEIA
NAS LEIS DE NOSSO SENHOR
TEU REVÓLVER É CARREGADO
COM JARDIM DE ROSA E FLOR.

12)Poetizante BR
Como faz um beija-flor,
Pétalas vou espalhar,
O que não presta dissipa,
Depois deixo encalhar,
E nessa peleja santa,
Eu garanto não Falhar.

13)Júnior Adelino
QUERO É CONTEMPLAR O MAR
ONDE DEUS ONIPOTENTE
O FEZ COM TANTA BELEZA
E DEU DE PRESENTE AGENTE
E NÃO COBRA NADA EM TROCA
QUANDO DEU ESTE PRESENTE.

14)Poetizante BR
Nosso Deus onipresente,
Nos enxerga em cada canto,
Mesmo em meio a escuridão,
Da natureza ele é manto,
No interior de nossa mente,
Seu poder causa espanto.

15)Júnior Adelino
PODER DE DEUS É TANTO
MÁS MESMO ASSIM ME CONFORTA
SEGUIR A SUA PALAVRA
PRA MIM É O QUE MAIS IMPORTA
ESTÁ NAQUELE MENDIGO
QUE BATE DE PORTA EM PORTA.

16)Poetizante Br
Vai chover em tua horta,
Gostas de muita alegria,
Lembro que antigamente,
O povo tinha alegoria,
Nessas coisas do sertão,
Me lembro da maioria.

17)Júnior Adelino
O AMANHECER DO DIA
NO MEU QUERIDO TORRÃO
MEU VELHO PAI ME CHAMAVA
CHEIO DE SATISFAÇÃO
PRA TIRAR LEITE DO GADO
E AMANSAR BOI NO MOURÃO

18)Poetizante BR
Considero um figurão,
O papagaio falante,
Um cabritinho pulando,
Pavão que é mais elegante,
As galinhas no quintal,
E meu filho cavalgante.

19)Júnior Adelino
AQUI NO POETIZANTE
O POETA SE ANIMA
FAZ EU LEMBRAR DO SERTÃO
E DO SEU MAJESTOSO CLIMA
MÁS AGORA EU VOU SAIR
VOU ME ENROLAR E DORMIR
NESSE COBERTOR DE RIMA.

20)Poetizante BR
O meu verso obra prima,
Que acorda o adormecido,
Nós fizemos nesta noite,
E está bem esclarecido,
Pra dormir ai com anjos,
Ou com algo parecido.

21)Júnior Adelino
MÁS NÃO QUERO O PARECIDO
E SIM DORMIR COM OS ANJOS
NUMA ORQUESTRA LOTADA
DE QUERUBINS E ARCANJOS
DEUS ME ENSINANDO AS NOTAS
E BOTANDO SEUS ARRANJOS.

22)Poetizante BR
Nessa causa use banjos,
Que tem bela melodia,
Os nosso versos tem brilho,
Como brilha a luz do dia,
Vou fazer uma pergunta,
O que tu sabe de rudia.

23)Júnior Adelino
VOU LHE FALAR DE RUDIA
AQUI NESTE BATE PAPO
É UM PEDAÇO DE PANO
NO ASSUNTO EU NÃO DERRAPO
PORÉM AQUI NA CIDADE
UNS CHAMAM DE GUARDANAPO

24)Poetizante BR
E com você não farrapo,
Lanço outra perguntinha,
Diga sobre suvaqueira,
Isso meu amigo tinha,
Fale agora de arrudia
Grande ou pequenininha.

25)Júnior Adelino
UMA CHATA CATINGUINHA
QUE ME DEIXA EM DESCOMPASSO
QUE POR FALTA DE HIGIENE
SURGE DEBAIXO DO BRAÇO
E ARRUDIA QUANDO É GRANDE
JUNTO E PONHO NO ESPINHAÇO

26)Poetizante BR
Pode provocar inchaço,
Somente em preguiçoso,
O que sabe de avexa,
E também de buliçoso,
Esses nós desate agora,
Pois você é caprichoso.

27)Júnior Adelino
MEXE EM TUDO É BULIÇOSO
QUEM SE APRESSA É AVEXADO
VOU PERGUNTAR PRA O AMIGO
NO DEBATE IMPROVISADO
ME RESPONDA SE SOUBER
O QUE É AFOLOZADO?

28)Poetizante BR
Tudo isso é bem Gozado,
Nessa sua inovação
Se já está Afolozado,
Foi por má-criação,
É unissex os atores
Nessa grande compressão.

29)Júnior Adelino
EU BOTO NESTA EXPRESSÃO
OUTRO SIGNIFICADO
PARA EXPLICAR AO AMIGO
O QUE É AFOLOZADO
PODE SER UM OBJETO
QUE ESTÁ DESMANTELADO.

30)Poetizante BR
Não posso ficar calado,
Com coisa afolozada,
Numa maquina injetora,
Depois de muita jornada,
O eixo num vai vem,
Deixará a luva folgada.

31)Júnior Adelino
A RESPOSTA FOI BEM DADA
VOCÊ É BOM NESTA ESCOLA
MÁS AGORA EU LHE PERGUNTO
E ME RESPONDA SEM ENROLA
QUAL O NOME POPULAR
DA TAL GALINHA DE ANGOLA

32)Poetizante BR
Como quem joga argola,
Nisso eu não sou infante,
A Chamam de Tô fraco,
Angola não se garante,
Ter uma galinha dessa,
Pode até ser estafante.

34)Júnior Adelino
SEU CANTO É MUITO IRRITANTE
POR TRÁS DAQUELE SERROTE
SE ESPERNEIA FAZ ZUADA
SE BULIR COM SEU FILHOTE
PRA ELA TEM MAIS TRÊS NOME:
GUINÉ,PINTADA E CAPOTE.

35)Poetizante BR
Grande é o seu suporte,
De galinha é preparado,
O que faz um varapau,
Não estás atrapalhado,
Onde se vende visage,
Diga ou fique emborcado.

36)Júnior Adelino
NÃO ME SINTO ATRAPALHADO
HOMEM GRANDE É VARAPAU
QUANDO A VISAGE ME ASSUSTA
USO UM PEDAÇO DE PAU
NÃO PENSE QUE VAI BOTAR
GOSTO "RIM" NO MEU MINGAU.

37)Poetizante BR
Quem entra nessa nau,
Tem que saber velejar,
Nem sabe de vuvuvú,
Teu suor vai gotejar
Pra dizer que é xibiu,
Diga ai sem gracejar.

38)Júnior Adelino
JAMAIS EU VOU APELAR
PRA AQUELE TERMO ENXERIDO
XIBIU PRA MIM É UMA BALA
OU UM BOM BOM CONHECIDO
ME EXPLIQUE A TAL EXPRESSÃO:
ESTOU COM O PÉ DIRMITIDO

39)Poetizante BR
Sei que tem mantido,
Coisas nesse teu cordel,
As palavras mais difíceis,
Vuvuvú foi como fel,
Vagina lembra Xibiu
Quem usa faz um tropel.

40)Júnior Adelino
PRA NÃO MANCHAR TEU PAPEL
ME RESPONDA ESTA QUESTÃO
QUAL AVE TEM APELIDO
DE PROFETA DO SERTÃO
POR FAVOR NÃO VÁ SUJAR
A TUA REPUTAÇÃO.

41)Poetizante BR
Deixe de palpitação,
Garanto não há espanto,
João de barro é o profeta,
E por chuva tem encanto
Pra o poente faz a casa
E o incréu espera o canto.

42)Júnior Adelino
FAZ TUA CASA E TEU CANTO
SEM NOÇÕES DE ENGENHARIA
QUE A FACULDADE DIVINA
LHE ENSINA E LHE AUXILIA
UM ARQUITETO QUE DEUS
DEU MUITA SABEDORIA.

43)Poetizante BR
Aqui uma mercadoria,
Caixa prego é conhecida,
Diga quanto ela custa,
Com faúla é parecida,
A banana descasquei
Pra uma queda imerecida.

44)Júnior Adelino
FALTOU BALANÇA E MEDIDA
NA MINHA MERCEARIA
PRA LHE DIZER QUANTA CUSTA
ESTA TAL MERCADORIA
PORTANTO A VENDI DE GRAÇA
POR UMA MÍSERA QUANTIA.

45)Poetizante BR
Não existe garantia,
Para um lugar distante,
É chamada caixa prego,
O Silvano é quem Garante,
Coisa velha diz faúla,
Se Cuide e siga adiante.

45)Júnior Adelino
EU SEI QUE TERRA DISTANTE
DE CAIXA PREGO É CHAMADA
RESPONDI MERCADORIA
DEVIDO A PERGUNTA DADA
AGORA VOCÊ ME DIGA
O QUE É CAPILOSSADA?

46)Poetizante BR
Isso lembra uma ossada,
E sei que não se afina,
Malandragem tem a ver,
Traquinagem se refina,
Me diga se arremedo,
É coisa grossa ou fina.

47)Júnior Adelino
Não é grossa e nem é fina
eu respondo ao cidadão
usei muito esta palavra
quando morei no sertão
arremedo é para mim
um tipo de imitação.

48)Poetizante BR
Ganhou sua quitação,
Nessa sua obra rara,
Onde via bãe de cuia,
Diga já em minha cara,
Se bestage é um bicho,
Pesando qual é a tara.

49)Júnior Adelino
DE FRESCURA TEM A CARA
NO TEMA EU PEGO BIGU
NÃO PENSE QUE NO CORDEL
VAI ME DÁ ALGUM PITU
AS EXPRESSÕES QUE EU USEI
QUERO A TRADUÇÃO DE TU.

50)Poetizante BR
Não sou de Botucatú,
Falo o meu Nordestinêz,
Bãe de cuia em futebol,
É lençol de uma vez,
Bestage tem em pombal,
E bobagem ai talvez.

51)Júnior Adelino
ENTÃO APROVEITO A VEZ
PORQUE BIGU É CARONA
PITU É PASSAR A PERNA
FALA ESTE VATE CAFONA
E NÃO VOU DIZER QUE É PEQUENO
QUEM FEZ EU BEIJAR A LONA.

52)Poetizante BR
Vi na foto a tua dona,
Posso aqui dizer amém,
Achei bacana o casal,
Que em nada é refém,
Amam-se de corpo e alma,
Creiam que Deus os mantém.

53)Júnior Adelino
A CHAMA DO AMOR MANTÉM
ACESA ENTRE EU E ELA
MINHA VIDA ESTAVA ESCURA
MÁS DEUS ACENDEU A VELA
E DEPOIS ENVIOU VOCÊ
PRA DEIXÁ-LA BEM MAIS BELA.

54)Poetizante BR
É benção é ter aquela,
Que alegra o teu leito,
Com Jesus em tua casa,
Garanto não há defeito,
Ame ele intensamente,
Para ser elo perfeito.

55)Júnior Adelino
FIQUEI DEMAIS SATISFEITO
COM A CANTIGA DA GENTE
ESPERO QUE O NOBRE AMIGO
TENHA FICADO CONTENTE
FELIZ ESTOU POR DUPLAR
COM UM HOMEM TÃO DECENTE.

56)Poetizante BR
Igual Jorro na nascente,
Versos em nossa aldeia,
Imagens foram pintadas,
Sem te que meter a peia,
E nós nunca deixaremos,
De ser luz nessa candeia.

Com Jesus na vida nem tem vencedor nem vencido.
"Somos mais que vencedores".
http://poetajunioradelino.blogspot.com.br/
htthttp://poetizante.blogspot.com.br/

O seu lugar não é aqui

Relação com Deus

Eu sinto a mão de Deus,
Dando a sua proteção,
Bem difícil para muitos,
Perceber sua atuação,
Protege os que confiam,
Sem querer compensação.

Essa sua boa ação,
Para muitos é miragem,
Errantes preferem viver,
Em atalhos na rodagem,
O carro da ingratidão,
Cairá com essa visagem.

E hoje faça paragem,
Retomando a caminhada,
Saia já dessa ilusão,
O pecado é coronhada,
Jesus Cristo está querendo,
Cuidar-te em sua ninhada.

Poetizante BR
http://poetizante.blogspot.com.br/
http://primeiraigrejapresbiteriana.blogspot.com.br/

Não cai no alçapão do passado

Eu fui fazer uma prova,
Pra entrar na faculdade,
Foi grande a dificuldade,
Responder o que aprova,
Há coisas que reprovam,
Corri e cheguei atrasado,
Com fila senti-me acusado,
Alegrei-me quando saí,
Eu finji, mas não caí
No alçapão do passado.
Poetizante BR

Alçapão do passado

A esposa me conheceu
Após namoro rompido,
Estava muito ferido,
Essa tal me esqueceu,
O amor desaqueceu,
Esta me viu fossado,
Cultivou o meu roçado,
30 anos vivo rindo,
Fugi mas findei caindo
No alçapão do passado.
Poetizante BR

Dia do Poeta 20 de Outubro


Improviso entre o Poetizante BR e Esperantivo

IMPROVISO COM ALMA E VERSOS ENTRE:
POETIZANTE BR X ESPERANTIVO

Foi muito gratificante improvisar com o Poeta e meu amigo Luis Poeta Esperantivo.
Quem ganha com isso são os amante sda Poesia. Ter começado em 18 de Agosto de 2012 me dá uma alegria excessiva.
Vamos fazer com outros Poetas também, porque aguça as idéias e nos faz crescer na poesia e na vida espiritual em cristo.

Desfrute do improviso mais longo que já fiz:
E aproveito para pedir as orações pelo Amigo e poeta Esperantivo.
Para que Deus seja curado para a glória dele.

"Os que confiam no Senhor são como os montes sião que não se abalam mas permanece para sempre.
Salmos 125:1

Poeta Esperantivo
Digo tim,tim por tim,tim
E diga se tenho razão
A poesia consola
A dor de meu coração
O poema é o refúgio
Para minha depressão

Poetizante BR
Falo com toda pressão,
Pra não te ver deprimido,
Teu coração aliviado,
É como um comprimido,
Que na poesia ingere,
Um dia irei ter lido,

Poeta Esperantivo
Digo nesta ocasião
que você pode seguir
escrevendo poesia
no mote prosseguir
falando de um belo tema
que a oração sugerir

Poetizante BR
Minha mente vai gerir,
Poesia bem dotada,
Da alma sem anotação,
Garanto não foi anotada,
Se sabe quem anotou,
A anotação é assombrada.

Poeta Esperantivo
Uma história bem rimada
Criando este cordel
Falando de poesia
Do poeta e seu papel
descrevendo esta paisagem
De maneira tão fiel

Poetizante BR
A esperança não é cruel,
E nunca vai morrer,
Quem ama a esperança,
Dessa vida irá correr,
É bom ser esperantivo,
Que o passado vai varrer.

Poeta Esperantivo
Com verdade se convive
Mantendo paz e amor
Acendendo esta chama
Mostrando nosso valor
Amigo Silvano Lyra
Você é um vencedor

Poetizante BR
Não quero ser perdedor,
O papel é de primeira
Pintando esta paisagem,
Inspiração sobe ladeira,
E no topo da poesia,
Os versos vira esteira,

Poeta Esperantivo
Uma rede pendurada
No alpendre a balançar
O vento soprando frio
Os pássaros a cantar
Aquele fogão de lenha
Para a gente cozinhar

Poetizante BR
Eu pensei em vizinhar,
Revivendo a mocidade,
Numa vila do sertão,
Eu senti temeridade,
aluguei por 30 dias,
Casa na localidade.

Poeta Esperantivo
Com toda sinceridade
Eu posso lhe confirmar
Quando vejo a paisagem
Começo a relembrar
O meu tempo de infância
Que morei neste lugar

Poetizante BR
Tive que ir devagar,
Rebobinado o passado,
Um filme muito cruel,
Que me deixou assustado,
A barragem transbordou,
Deixando-me debilitado.

Poeta Esperantivo
Vendo o gado no cercado
E a patativa cantando
As galinhas no quintal
Cabra no pasto berrando
O guiné na capoeira
Numa sombra descaçando

Poetizante BR
Parei e fiquei pensando,
Como estará ali agora,
A seca de cinco anos,
Diferente de outrora,
Quando alí desembarquei,
Eu chorei na mesma na hora.

Poeta Esperantivo
E no romper da aurora
O vaqueiro coloca ração
Pro gado que já espera
Encostado no mourão
O jumento no cercado
Relincha com precisão

Poetizante BR
Senti grande imprecisão,
Contemplando a paisagem,
A seca banhando a alma,
Na palidez da imagem,
Na alma um lenço molhado,
Milho e feijão sem tiragem.

Poeta Esperantivo
A cabra berrando longe
Querendo água beber
No coxo bota ração
Para o gado comer
Depois vai pra o barreiro
Buscar água pra beber

Poetizante BR
Não quis preconceber,
Procurei sabiá da mata,
Também casaca de couro,
Que quem cria logo acata,
Canário da terra sumiu,
Criadores tem como nata.

Poeta Esperantivo
A cabra lá na pastagem
Numa sombra descansando
Em quanto seu filhotinho
Fica de lado mamando
Enquanto o vaqueiro vai
A sua ração preparando.

Poetizante BR
Um milagre está virando,
Tristezas a enxugar,
Arte em renda de birro,
Muitas chamas apagar,
Esculpindo pedras,
Os artistas no lugar.

Poeta Esperantivo
A patativa cantando
Bem pertinho do ninho
No galho do trapiá
Protegendo o filhotinho
Vai em busca de alimento
Voa o campo todinho.

Poetizante BR
Vi no ambiente ninho,
Do famoso João de Barro,
Antes de ter sua amada,
Sem flores, formou um jarro,
E mesmo sem ser pedreiro,
Nessa casa eu me amarro

Poeta Esperantivo
A enxada no cantinho
Encostada na parede
Ferramenta de trabalho
Ao lado de uma rede
No pote água fresquinha
Pra matar a sua sede

Poetizante BR
Nem com trena se mede,
A extensão da esperança,
Como balde de água fria,
Desmancha da alma trança,
Que foi feita pelo tempo,
Como se fosse poupança.

Poeta Esperantivo
Na noite de lua cheia
Quando é tempo de verão
A lua cheia reflete
Em meio a escuridão
Como é maravilhoso
Uma noite no sertão

Poetizante BR
Parei naquele portão,
Lembrei-me que tinha dito,
Na astúcia de criança,
Chamei de lugar bendito,
Escrevi com tinta branca,
Esse meu feito inaudito.

Poeta Esperantivo
Mais não é o benedito
Tropeçar na direção
Quando eu vou versejar
E me foge a inspiração
Ligo o gerador da mente
Para a versalização

Poetizante BR
Fiz nessa balização,
O que tinha pretendido,
Rever o meu torrão,
Acordar o adormecido,
Enxergar bem a vida,
No caráter comedido.

Poeta Esperantivo
Tem uma rica tradição
O povo sertanejo
Fico muito encantado
Com as coisas que vejo
Divulgar esta cultura
É tudo que desejo

Poetizante BR
Manifesto agora ensejo,
Pra evitar pesadelo,
Rever minha parteira,
Zé do táxi e Zé Bedelo
Vivos na lembrança,
Lembrados como modelo.

Poeta Esperantivo
Aproveitando o ensejo
Quero agora relatar
As belezas que existe
Neste bonito lugar
Pois o sertão é berço
Da cultura popular

Poetizante BR
Eu quero estipular,
De agora em diante,
Que após os 30 dias,
Eu serei um sitiante,
E como aposentado,
Eu serei negociante.

Poeta Esperantivo
Como um bom viajante
Gosto de aventurar
Garimpando as riquezas
Que eu possa encontrar
E perto da natureza
Quero agora descansar

Poetizante BR
E sei que vou alcançar,
Os meus dias de glória,
Nisso eu não me glorio,
Árdua foi a trajetória,
No lugar que fui nascido,
Começou a minha história.

Poeta Esperantivo
E eu guardei na memória
O lugar onde nasci
Nas terras da usina
Foi ali que eu cresci
Passei minha infância
E bons momentos vivi

Poetizante BR
Nem tudo ali eu vi,
Procurei sabiá da mata,
Também casaca de couro,
Que quem cria logo acata,
Canário da terra sumiu,
Criadores tem como nata.

Poeta Esperantivo
Tsiu na galha salta
Cantando logo cedo
Cravina se aninha
Faz ninho no arvoredo
João de barro faz a obra
Sem mostrar seu segredo

Poetizante BR
A falta de arvoredo,
No rio peixes perecem,
Sinal de muita escassez,
Com isso todos carecem,
E não encontro saída,
Comisso todos padecem.

Poeta Esperantivo
O anum voa sem medo
Pousa pela plantação
Come semente de milho
E os pezinhos de feijão
Se deixa entre a lavoura
Prejudica a plantação

Poetizante BR
A minha interpretação,
É que o governo falha,
Só surge em campanha,
Vem como fogo de palha,
Enquanto o sertanejo,
Leva a vida como tralha

Poeta Esperantivo
Quando os brotos aparecem
E começam a florescer
As aves se aproximam
Procurando o que comer
Pra levar para seu ninho
Pro filhote não morrer

Poetizante BR
Eu pretendo percorrer,
Os locais com meu chapéu,
Ver os bichos rastejantes,
Achar um como troféu,
Nos ares vejo uma grade
Fazendo do povo réu.

Poeta Esperantivo
Este processo atrapalha
Pois não dá a condição
Do agricultor investir
E ter boa produção
Só se vê suas propostas
Em época de eleição

Poetizante BR
Não existe perfeição,
Vi ali muito lundum,
Uns de braços cruzados,
De alimento em jejum,
Vi outros nesse lugar,
Comendo pássaro anum.

Poeta Esperantivo
se investir no sertão
Para o povo trabalhar
Vai dar boa produção
Com certeza vai lucrar
Pois tendo irrigação
Produção não vai faltar

Poetizante BR
Vi crianças a saltar,
Brincando como inocentes,
Mesmo comendo pouquinho,
E sendo até carentes,
Divertindo elas doaram,
Sorrisos como presentes.

Poeta Esperantivo
As estrelas lá no céu
Todas lindas a brilhar
E a lua refletindo
Sua luz pra iluminar
A paisagem sertaneja
Para gente admirar

Poetizante BR
Sei que ia expirar,
Toda a minha euforia,
Restavam só dois dias,
Para essa auditoria,
Comecei a adoecer,
Maturando a melhoria.

Poeta Esperantivo
Plantação de jerimum
No roçado vai ramando
Quando a chuva fina cai
A atenção vai chamando
Mais se, porém falta água
Sua rama vai secando.

Poetizante BR
A alma estava mancando,
Pois perdi o meu compasso,
Vi que era último dia,
Na alma eu fiz um laço,
No pé de sombreiro,
Abracei dando um amasso.

Poeta Esperantivo
Vi pessoas tão contentes
Com pouco para comer
O barreiro quase vazio
Sem ter água pra beber
Mais com muita esperança
Deste quadro reverter

Poetizante BR
As lágrimas à verter,
Fiquei tão emocionado,
Chamei os primos meus,
Com o espirito detonado,
Fizemos grande festa,
Foi choro pra todo lado.

Poeta Esperantivo
E como a maioria
Deste povo é valente
Luta com muita bravura
Trabalha em sol ardente
Produzindo alimento
Pra cuidar de sua gente

Poetizante BR

Eu sai pela tangente,
Mesmo naquele apogeu,
A festa ainda rolava,
E alguém ali me deu,
Um livro de poesias
Que o Esperantivo leu.

Poeta Esperantivo
E seguindo o mesmo passo
A melhora eu ansejo
pois em nosso nordeste
Muitas dificuldades vejo
Precisa dar mais apoio
Ao povo sertanejo

Poetizante BR
Sei que não pestanejo,
Falo com muita potência,
As malas estão prontas,
Voltarei pra dá ciência,
O Poeta Esperantivo,
Mostrou muita coerência.
ou encerro no seu

Poeta Esperantivo
Fiquei tão preocupado
Com aquela situação
A chuva muito escassa
Prejudicou a plantação
Mesmo assim aquele povo
Não perdeu a animação

Poetizante BR

Logo veio a aparição,
Tio de outra parentela,
Almoçamos em família,
Pintei na hora uma tela,
Pedi ao Esperantivo,
Pra me ver pela janela.

Poeta Esperantivo
Foi Dila quem escreveu
Este grande menestrel
E eu li para Silvano
Um livreto de cordel
Em meio a tantos vates
recitar foi meu papel

Poetizante BR
Eu vi nesse cordel,
Versos com sentimento,
Do sonho eu acordei,
Não senti nisso tormento,
Por parecer tão real,
Postarei nesse momento.

Poeta Esperantivo
Silvano pintando uma tela
De um cavalo alazão
Um vaqueiro nele montado
Correndo pelo sertão
Pintou Maria bonita
E também o Lampião

Poetizante BR
Sem querer ser espião,
Digo aqui hoje mesmo,
Quem não vive em Cristo,
Estando bom ou enfermo,
Crendo tem salvação,
Se agarre nesse termo.

Atenção:
Como o Poetizante não tem plateia para se apresentar, ele transforma em platéia aqueles que sensivelmente segue o Blog Poetizante. Os amigos da Poesia.

Siga o Poetizante No Blog abaixo.
http://poetizante.blogspot.com.br/

sábado, 6 de outubro de 2012

Homenagem a Silvana Lyra

Essa a foto mostra,
No semblante inteligência,
No olhar serenidade,
No sorriso inocência,
Nos cabelos vaidosa,
Na alma muita decência.
Poetizante BR

https://www.facebook.com/vinhalyra?ref=ts&fref=ts

Dois Poemas do poetizante BR

http://poesiaevanglica.blogspot.com.br/2012/10/cordel-dois-poemas-de-silvano-lyra.html?spref=fb

InícioBiblioteca de Poesia Evangélica
SEGUNDA-FEIRA, OUTUBRO 01, 2012

Cordel: Dois poemas de Silvano Lyra
Enviar por e-mail
BlogThis!
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Orkut



ATÉ O CEGO VER

Pra fazer um cego ver,
Tem que ser grande a façanha,
Tirar as névoas dos olhos,
Sem tentar fazer barganha,
Mostrando que ao seu redor
Há coisa não tão estranha.

Minha arte não tem manha,
Vejo sem fazer atalho,
Fogo de amor sem fumaça,
Planta de obra com galho,
Boca de noite falando,
Tártaro em dente de alho.

Selo em carta de baralho
E cloro em água de coco,
Mãos massageando o ego,
Cérebro em cabeça de toco,
Banco de areia com nome,
Rins com parede e reboco.

Pra sair desse sufoco,
Pé de serra com sapato,
Laço pra corda vocal,
Boca de noite no mato,
Pista de crime com curva,
Garanto existir de fato.

Para não deixar barato,
Vi perna de mesa andando,
Bico de luz dando piu,
Boca da noite falando,
Aro em pneu de gordura,
Deixará cego enxergando.

Vejo, me maravilhando,
Música em disco de embreagem,
Cutícula em unha de fome,
Asa de avião ter penagem,
Cachorro quente latindo,
Provo que não é visagem.

Folhas de mato sem triagem
Para imprimir documentos
Vara de justiça em cerca,
Lá não se faz juramentos,
E peixe espada não corta,
Nem sequer nos pensamentos.

Nós queremos ter momentos
De achar alguma pulseira,
Que caiba em braço de rio,
Ou que se encontre na feira,
Banana de dinamite,
Embalada em garrafeira.

Pra subir nessa ladeira,
Peito de frango é verdade,
Com prótese ou silicone,
Não se encontra na cidade
E os feitos de borracha,
Perderam Notoriedade.

Eu falo grande verdade,
Na cadeia alimentar,
Não tem revolta de presos,
Ninguém vai se acorrentar,
Assunto em chá de sumiço,
Impossível é se encontrar.

Nunca vai se apresentar
Manga de blusa madura,
Não dá pra achar o cacho,
Que contenha mole ou dura,
Corte de pano com sangue,
Somente existe em pintura.

Nem mesmo numa figura,
Não se entra pelo cano,
Pra dá nó em pingo d'água,
Será grande o desengano,
Procurei riso amarelo,
Quem conta isso é cigano.

Para matuto ou urbano,
Deixo aqui minha lição,
Ajudei o cego a ver,
Nessa minha inspiração,
Abra seu entendimento,
Cristo muda sua visão.


Perda de um ente querido

Me virei para o passado,
Fui logo me machucando,
Os pertences encostados,
Minha alma manquejando,
As prosas do dia a dia,
Na mente eu examinando.

E foi se multiplicando,
Lamento, choro e dor,
Deu um goto na garganta,
Por não ser um explorador,
Fui logo ao meu jardim,
Das flores sentir o odor.

Como um amplificador,
No ouvido a sussurrar,
Dos conselhos que me dava,
Eu comecei a chorar,
Fiz um o lenço na alma,
Para me recuperar.

Comecei a melhorar,
Quanto ao triste sentimento,
Não importa o parentesco,
Nisso há choro e lamento,
Os gestos nobres que tinha,
Me dá mais contentamento.

Agora aqui eu comento,
Pois o ente era querido,
Pelo amigos de fora,
Era muito preterido,
No trato com a família,
Era bem mais aguerrido.

Sem fazer mais alarido,
Uma mensagem vou dizer,
Com Cristo em nossa vida,
Vivemos com mais prazer,
Chegando a hora da partida,
No céu teremos prazer.

Nosso irmão Silvano mantém o blog Poetizante. Mantém também diversas rádios online, inclusive a Rádio Poesia e a Rádio Repentistas Evangélicos.

Poetizante BR com Poetisa Marcia Kannitz


Improviso com Poetisa Marcia Kannitz


Mote: Eu Montei no cavalo da ilusão...

No laço de uma seita caiu,
Um amigo bem intencionado,
Comprou livros e vivia dominado,
Mostrei a rede armada que caiu,
Depois de muito explicar viu,
Que perderia o juízo todinho,
Em chamar o capeta de painho
Disse no trote cruel da reclusão,
Eu montei no cavalo da ilusão
E cai na metade do caminho.

Poetizante BR

A grandeza de um homem!

A grandeza de um homem!

O ápice de uma grandeza,
Para quem se engrandece,
O cume da humildade,
Nesse eminente padece,
Pode até ter patente,
É no chão que permanece.

Poetizante BR

Quando descer é melhor que subir!

Quando descer é melhor que subir!

Quem é grande perece,
Aqui faço uma alusão
Se descer como subiu,
Mudaria de visão,
Subia no elevador
Panorâmico da razão.

Poetizante BR

No chão é melhor

No chão é melhor!

No elevador da vida,
Buscam a melhor imagem,
Na razão o enxergar,
Estigmatiza paisagem,
Quando isso angustia,
É melhor fazer paragem.

Há conforto na garagem,
E trégua na depressão,
Foi embora a vertigem,
Que na mente fez pressão,
Melhor no chão com alma,
Enterrando a obsessão

Poetizante BR

Nova Impressão

Ganha nova impressão
Quem por cima se achava
E ali mesmo embaixo,
Bem com mal pagava,
Cristo foi a solução,
Ali onde se encontrava.
Poetizante BR

Rastros

Vou mostrar em sextilhas todos os tipos de Rastros.
Como esse rastro é o mais cruel, inicio com ele.
Porém quero dizer que Cristo transforma essa crueldade que fataliza as famílias no mundo.
As pessoas poe uma carga ainda mais pesada sobre a parte que foi duramente castigada pela traição, principalmente o homem em zombar e ridicularizar nas rodas de amizade.
Jesus Cristo é a aliança inquebrável para os casais que se respeitam.

Rastros

Missão bem espinhosa,
Mostrar os tipos de rastros,
Rastro de corno é cotado,
No Cume dos altos mastros,
Crucificam os inocentes,
E fazem Vilões de astros.

Poetizante BR

Segue com muitos tipos de rastros.

Homenagem ao Poeta Assis Coimbra

Homenagem ao poeta Assis Coimbra

Não precisamos de áudio,
Quando a alma está falando,
Banhando a face oculta,
Cachoeiras se formando,
Películas do filme em gotas
A Todos emocionando.
Poetizante BR

Desafio entre o Poetizante BR e Juvenal Santos

Desafio entre o Poetizante BR e Juvenal Santos socorrendo o amigo e Poeta Ariosto que correu do chicote do Poetizante BR. Em 06 10 2012

Juvenal Santos
POETA JÁ ESTOU CIENTE
DE TUDO QUE ACONTECEU
VOCÊ INSULTOU ARIOSTO
E O COITADO CORREU
EU VOU ENTRAR NESTA BRIGA
PORQUE ELE É AMIGO MEU.

Poetizante BR
O Ariosto se Rendeu,
Como assalto na estrada,
Nem sentiu o meu calibre,
Nele não disparei nada,
Ponha a armadura,
Em dobro dou disparada.

Juvenal Santos
ESTAVA DANDO RISADA
DEPOIS DE UM SUSTO DANADO
DISSE QUE FICOU COM MEDO
AINDA ESTAVA ASSUSTADO
MAIS DEPOIS VIU QUE VOCÊ
É UM POETA AFAMADO.

Poetizante BR
Pelo rabo pego o gado,
Depois eu jogo no chão,
Como feito em vaquejadas,
Onde a areia é o colchão,
Nessa queda ele vai rir
Pois é um grande bonachão.

Juvenal Santos
EU LHE DIGO MEU IRMÃO
TENHO CHUMBO DE POESIA
SE O CABRA AQUI É FRACO
EU LHE TIRO A AUSADIA
FAÇO A GUERRA DE VERSO
E SAIO COM ALEGRIA.

Poetizante BR
Montei uma saboaria,
Pra quem cai e fica sujo,
Não quebro nenhum osso
De qualquer um dito cujo,
Se vier os dois na hora,
Eu Garanto e não fujo.

Juvenal Santos
OU POETA OU MARUJO
ESTOU PRONTO PRA ENFRENTAR
SAIBA NÃO GOSTO DE BRIGA
EU NÃO GOSTO DE BRIGAR
MAS NÃO DEIXO MACHUCADO
EU BOTO É PRA LASCAR.

Poetizante BR
Estou sempre a arriscar,
Fabrico com garantia,
Maca para os caídos,
Gasto até alta quantia,
Mas não deixo pra lá,
Quem arrotava valentia.

Juvenal Santos
TU ESTA NA PONTARIA
SAIBA QUE EU ESTOU ARMADO
TENHO UM JARDIM DE VERSOS
E ESTA BEM FLOREADO
SÓ É BOTOES SE ABRINDO
E O POVO FICA ENCANTADO.

Poetizante BR
Me sinto hoje montado,
No verso grosso chicote,
O bicho pode ser graúdo,
Em minha frente é frangote,
Fixo bem o meu olhar,
Monto fábrica de mascote.

Juvenal Santos
EU VOU PROVAR O SEU DOTE
SE É MESMO UM CAMPEÃO
DISSE QUE É BOM NA POESIA
É UM POETA VALENTÃO
ENTÃO TRAGA AS SUAS ARMAS
QUE ENCONTROU UM LAMPIÃO.

Poetizante BR
Como eu sou um peão,
Tá meu braço dolorido,
De bater em pantaneiro,
Que tem o lombo doido,
Vou para nessa hora,
E empatar esse moído.

Juvenal Santos
EU FICO AGRADECIDO
POETA DIGO OBRIGADO
EU QUERIA ESTA CANTANDO
NESTA HORA DO SEU LADO
MAS MESMO NESTA DISTANCIA
O DESAFIO ESTA EMPATADO.

Improviso entre o poeta Juvenal Santos e o Poetizante BR.

Improviso feito entre o poeta Juvenal Santos e o Poetizante BR.
em: 05/10/2012 no Facebook

Juvenal Santos
AS PALAVRAS VOU BUSCANDO,
PRA FALAR DA POESIA,
CONVERSANDO COM VOCÊ,
ISSO ME DA ALEGRIA,
QUERIA FAZER AMIGOS,
DESSE JEITO TODO DIA.

Poetizante BR
Não pensei que hoje via,
Poesia de amizade,
Se alegrou num instante,
Disse com agilidade,
Qua a poesia nos une,
Como se fosse beldade.

Juvenal Santos
POIS É UMA FELICIDADE,
TER POESIA E TER AMIGO,
ASSIM EU VIVO CONTENTE,
AFIRMO AGORA E DIGO,
PORQUE FALAR DE POESIA,
PRA MIM ISSO NÃO É CASTIGO.

Poetizante BR
Transformo em artigo,
O que eu escrevo agora,
abra bem seu coração,
Refletindo a toda hora,
Com Cristo em nosso meio,
A tristeza vai embora.

Juvenal Santos
POIS EU LHE DIGO AGORA,
QUE DEUS É NOSSO SENHOR,
ELE É DONO DA POESIA,
E NOS SOMOS O CRIADOR,
ELE NOS DA INSPIRAÇÃO,
E NOS FAZEMOS COM AMOR.

Poetizante BR
Já Mostrou o seu valor,
Grande sua inspiração,
Da poesia o dono certo,
Tudo dá sustentação,
Quem disso esquece,
Não vai ter contemplação

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Vamos beber Poesia na Cacimba do repente

HELENO ALEXANDRE (SAPÉ-PB) & SILVANO LYRA (OLINDA-PE) AO VIVO DE IMPROVISO PELO FACE. EIS NOSSOS VERSOS:

SILVANO LYRA(POETIZANTE BR)
Foi Fincada uma bandeira
Ao lado daquele poço
chegou um certo moço
Arrastando uma madeira
Nem ofereci cadeira
Gago e cego infelizmente
Da madeira fez batente
Com sede e mente vazia
Vamos beber poesia
Na cacimba do repente

HELENO
Eu também estou com sede
Vou pra cacimba vexado
Embora esteja deitado
Na minha pequena rede
Já escrevi na parede
Que espia pra o batente
Vou correndo pra vertente
E quero a sua companhia
Vamos beber poesia
Na cacimba do repente

SILVANO LYRA(POETIZANTE BR)
Sei que tens inventado
És uma fonte à jorrar
Nem em sonho vai borrar
O quadro que tens pintado
O pincel tens apontado
Tua pintura é comovente
Quem olha fica contente
Há sede na freguesia
Vamos beber poesia
Na cacimba do repente

HELENO
A você faço um convite
Não pra bater nos perversos
Mas para fazer uns versos
Do jeito que Deus permite
A sua viola agite
Força a garganta e a mente
Se não começarmos quente
Nossa inspiração esfria
Vamos beber poesia
Na cacimba do repente

SILVANO LYRA(POETIZANTE BR)
Seu convite não atendo
Pelo que faço agora
Quem sabe a qualquer hora
O meu estarás lendo
Na mente estou fazendo
Apesar do tempo quente
A água aqui é fluente
E nem tem maresia
Vamos beber poesia
Na cacimba do repente.

HELENO
Sem cano duro ou elástico
E reservatório açudeco
Sem precisar de caneco
Copo de vidro ou de plástico
O nosso ritmo fantástico
Supera qualquer corrente
Porque a sede da gente
Nem toda água sacia
Vamos beber poesia
Na cacimba do repente


Feito após o improviso por Silvano Lyra(Poetizante BR)

Eu me distanciei da tapera
Esqueci-me do cantil,
Ouvi quando um gentil,
Me disse agora espera,
A violência ali impera,
Coronel sem patente,
Daqueles que mata gente,
Ofereceu com cortesia,
Vamos beber poesia,
Na cacimba do repente.

Poetizante BR

Centenário de Luiz Gonzaga

Lembraram no centenário,
Quase tudo e quase nada,
Vou dá oxigenada,
Para criar novo cenário,
Aguçar o imaginário,
Que nem dá para discorrer,
Me resta recorrer,
A memoria do meu giz,
Os feitos do rei Luiz
Nunca haverão de morrer

Vou escrever do passado,
Antes do seu nascimento,
Dos pais um juramento,
Antes dele ser gerado,
Um gênio foi ilustrado,
Pra ninguém concorrer,
E nesse meu discorrer,
Fiz muita gente Feliz,
Os feitos do rei Luiz,
Nunca haverão de morrer.

Surgiu o gênio fecundo,
Exu foi sua Cidade,
Ainda sem notoriedade,
Partiu pra ganhar o mundo,
Com sentimento profundo,
Estava sempre a correr,
E o desânimo varrer,
Pois de si era juiz,
Os feitos do rei Luiz,
Nunca haverão de morrer.

Os cem anos ecoou,
Grande comemoração,
No Brasil consagração
89 chegou,
O pais dia dois chorou,
Ainda Hoje a percorrer I
Até dezembro ocorrer
É assim que o povo quis,
Os feitos do rei Luiz
Nunca haverão de morrer.

Estrofe feita em :
13 Dezembro 2012
Cem anos do Rei Luiz

Hoje é um dia diferente,
Tem festa pra todo lado,
Bem presente o passado,
Passando nesse presente,
No clamor de nossa mente,
Dava até pra estender,
Ninguém quer isso romper,
Jorra, jorra, chafariz,
Os feitos do Rei Luiz,
Nunca haverão e morrer.
Poetizante BR


Poetizante BR

domingo, 30 de setembro de 2012

Provérbios Capitulo 1 versículos 1: 13-17

Provérbios 1:13-17

Temos garantidos,
Bens de toda sorte,
Certamente preciosos,
Riquezas como suporte
Tendo a casa cheia,
De roubos como aporte.

Poetizante BR

1.13 acharemos toda sorte de bens preciosos; encheremos de despojos a nossa casa;
________________________________________
Lança a tua sorte,
Entre os da divisão,
Sendo mal adquirido,
Distancie com precisão,
Caminhe longe deles,
Com os pés da decisão.

Poetizante BR

1.14 lança a tua sorte entre nós; teremos todos uma só bolsa.
________________________________________
1.15 Filho meu, não te ponhas a caminho com eles; guarda das suas veredas os pés;
________________________________________
Vejo nessa revisão,
Pés correndo para mal,
Não dá pra armar arapuca,
Com o passarinho no local,
Olhando e comtemplando,
Em vigilância total.

Poetizante BR

1.16 porque os seus pés correm para o mal e se apressam a derramar sangue.
________________________________________
1.17 Pois debalde se estende a rede à vista de qualquer ave.
________________________________________

Provérbios Capitulo 1 versículos de 8-10

Provérbios:
Capitulo 1 versículo de 8 - 10

É pra ouvir de verdade,
O ensino do nosso pai,
Seguindo instrução da mãe,
O filho pra frente vai,
Com diadema na cabeça,
Essa graça nunca cai.

No pescoço colar não sai,
Deus te chama filho meu,
Pecadores tentarão,
Seduzir o coração teu,
Vence quem não consente,
Ruim é pra quem não leu.

Poetizante BR

1.8 Filho meu, ouve o ensino de teu pai e não deixes a instrução de tua mãe.
________________________________________
1.9 Porque serão diadema de graça para a tua cabeça e colares, para o teu pescoço.
________________________________________
1.10 Filho meu, se os pecadores querem seduzir-te, não o consintas.
________________________________________
Provérbios:
Capitulo 1 versículo 11

Quem se diz amigo seu,
Chamando pra emboscada,
Verter sangue inocente,
Erro é essa sacada,
Espiando sem motivo,
Isso é de molecada.

Poetizante BR

1.11 Se disserem: Vem conosco, embosquemo-nos para derramar sangue, espreitemos, ainda que sem motivo, os inocentes;

Provérbios Capitulo 1 versículos de 4-7

Provérbios:
Capitulo 1 versículo de 4-7

Aos simples eu darei,
Prudência e conhecimento,
Os jovens terão bom senso,
Já o sábio crescimento,
Na instrução habilidade,
Provérbios dá entendimento.

Nesse entrosamento,
Provérbios dá habilidade,
As parábolas tem instrução,
Temor do Senhor na verdade,
No saber loucos desprezam,
O ensino com intensidade.

Poetizante BR

1.4 para dar aos simples prudência e aos jovens, conhecimento e bom siso.
________________________________________
1.5 Ouça o sábio e cresça em prudência; e o instruído adquira habilidade
________________________________________
1.6 para entender provérbios e parábolas, as palavras e enigmas dos sábios.
________________________________________
1.7 O temor do SENHOR é o princípio do saber, mas os loucos desprezam a sabedoria e o ensino.
________________________________________

A Natureza Poetizada

A Natureza Poetizada

A natureza é um encanto,
Há quem não aproveita,
No seu eu se trancafia,
Poe ferrolho e não se ajeita,
Nas obras da criação
As coisas de Deus rejeita.

Mas há quem se deleita,
E tudo a mente alcança,
Esse já fez reciclagem,
Sua mente tem pujança,
Na alma tem sentimentos,
No olhar o filme avança.

É uma rede que balança,
Ao olhar em seu redor,
Movimentos uniformes,
Como faz um varredor,
Some toda escuridade,
Faz painel e é credor.

Agora é merecedor,
Do que está nesse painel,
A natureza humana,
Mesmo entendida a granel,
Pintada tem mais valor,
Que diamante em anel.

Do outro lado do túnel,
Vejo flores muito raras,
Caracol, Scarlet, Lótus,
Há Orquídeas muito caras,
Rosal e Lírio são comuns
Trepadeiras usa varas.

Falo agora de araras,
Azuis em extinção,
Papagaio, curió, Ferreiro
Asa Branca em canção,
Peru, pavão, galinha,
guiné, Sabiá faço menção.

Sem fazer invenção,
Cristo autor de tudo,
Da criação é maestro,
com ele não me iludo,
Me vejo de corpo e alma,
Crendo nele eu tudo mudo.

Poetizante BR

A Alma da Poesia

Alma poética é diferente de veste poética.
Para nossa reflexão.
Marcia PoesiaéArte M Kanitz me ajudou a entender essa grande verdade.

Não se veste quando não se tem alma.
Quando se tem alma e não se veste, é nudez total.
Quando tem vestes e não tem alma é Poesia morta.

Poetizante BR

Silvana Lyra

Quanto a foto de minha filha Silvana Lyra bem novinha

Essa foto mostra,
No semblante inteligência,
No olhar serenidade,
No sorriso inocência,
Nos cabelos vaidosa,
Na alma muita decência.
Poetizante BR

https://www.facebook.com/vinhalyra?ref=ts&fref=ts

A mulher Real

A mulher Real
Ratificando a mulher ideal de Marconiza Brasil Brasil

A mulher ideal,
É vista como miragem,
Se cuida bem da casa,
Alguém diz isso é bobagem,
Por cuidar bem do marido,
Insinuam outra pastagem.

Digo que em sua bagagem,
Deve ter a paciência,
Cuidar bem dos filhos,
Com o marido transparência,
Com as vizinhas cuidado,
Com a família competência.

Poetizante BR